quinta-feira, junho 01, 2006

percursos no Alkantara (VI): Jorge Louraço Figueira


Várias pessoas me perguntam, a respeito de uma ou outra crítica saída no Público, se afinal eu gostei ou não do espectáculo, se vale a pena, se é bom. E fico meio atrapalhado: se a resposta a essas perguntas resumisse o exercício da crítica, então mais valia publicar a lista dos espectáculos em cartaz com gostei / não gostei, é bom / é mau, vale a pena / não escrito à frente. Aqui e agora não é o espaço para esse debate. Esta introdução é para sublinhar que as escolhas seguintes são feitas apenas segundo a minha curiosidade pessoal. Nunca vi os espectáculos que assinalo e durante o Alkantara só estarei em Lisboa uns dias (nessa altura decorre também o Fitei, no Porto). Mas porque me tenha sido sugerido por amigos, porque a sinopse desperta a minha atenção, ou porque eu tenha um interesse particular neste ou naquele tema, estes são os espectáculos que veria ou verei:

Porque parece que trata da relação entre escolhas artísticas, escolhas políticas e escolhas culturais


Para ver pelo menos uma peça de teatro

Porque um amigo de São Paulo disse que estava muito interessado no trabalho deles, para eu ir ver e depois contar tudo...


Porque a autora teve uma menção honrosa do ACARTE com o espectáculo Wasteband, que aliás vou ver no FITEI, e assim fazia uma integral.


... e um amigo inglês disse que eles eram muito bons.

Porque uma amiga viu em Avignon e diz que é a não perder, e parece que é muito à frente.

Porque dizem que é muito bom, uma amiga minha que viu o Alemaal Indian há uns anos

Porque tenho muita curiosidade em ver como se fazem espectáculos em que autor e único actor são a mesma pessoa


Jorge Louraço Figueira é tradutor e dramaturgo, para além de crítico de teatro no jornal Público.

As escolhas são da responsabilidade do autor, excepto hiper-ligações e indicação de datas. Foram feitas a partir de um convite lançado pelo blog ao qual o Alkantara festival é alheio.

3 comentários:

Francisco Frazão disse...

O Tim Crouch não é o único actor, há um segundo actor que muda todas as noites porque não pode ter visto nem lido a peça antes... abraço

Tiago disse...

oh francisco, agora estragaste a surpresa... hihihihihihhi
abraços.

André disse...

grande surpresa... Quem anda aqui também pode ir ao google e pesquisar "An Oak Tree".
Até parece que se descobre a pólvora por pesquisar na net coisas que não vêm nos jornais ou nos programas de espectáculos.
Parabéns. São todos muito cultos