quarta-feira, setembro 21, 2005

montreal 4

o festoval comecou ontem com um petit fait-divers protocolar que, de superficial nao tem nada. Wolfgang Schneider, presidente do ASSITEJ, a associacao internacional responsavel pelo festival, deu as boas vindas a toda a gente no inicio do primeiro espectaculo assim: 'welcome to montreal, the cultural capital city of canada'. Ora, sabendo que a regiao do Quebec, onde Montreal esta sediado procura a independencia ha anos (e uma das lutas do Partido Quebecoise), a 'graca' foi recebida com entusiasmo pela comunidade francofona. Depressa a ministra da comunicacao (e mais qualquer coisa) veio dizer que Montreal nao era a unica cidade a correr para esse posto.
O espectaculo em si, Pour ceux qui croient qui la terre est ronde, uma leitura da vida de Cristovao Colombo, feita de expectativas do filho e amarguras do pai, levanta interessantes questoes sobre o teatro para a infancia. De que modo como estes espectaculos ser percepcionados e qual a forma que este genero de teatro utiliza para sobreviver as contantes e cada vez mas persistentes concorrencias, mais ou menos superficiais. Voltarei a isso mais tarde.
Agora saio para uma maratona de 5 espectacyulos.
Sao 9h20 da manha, e o furacao Ophelie continua a soprar ventos fortes sobre a regiao. MAs esta tudo bem. Como sempre no Canada. As vezes apetece gritar so para ver se esta gente tem sangue nas veias.

4 comentários:

Anónimo disse...

veja lá se não abala com o vento

Duarte disse...

Já estou a gostar do sítio. Vai-nos mantendo ao corrente, sim?

C.S.A. disse...

Vê lá, não vás preso, e ficamos sem o nosso LÍDIMO representante.

Joaquim disse...

Então e a Celine Dion? LOL :D