quarta-feira, dezembro 26, 2007

A ler...

A tarefa da crítica (em sete teses), por José Luis Brea in Arte Capital





2. É tarefa da crítica contribuir para o processo de construção social do significado. Este não pertence à obra – que em si mesma não é mais do que um modesto e incompleto envio – mas a todo o processo social em que ela está implicada. A parte em que a crítica há-de contribuir não será se não a mais desmanteladora, a que melhor contribua tanto para dispersar essa produtividade significante – a crítica há-de ser máquina de proliferação do sentido – como para socavar a ilusão de que este pertence à obra. O sentido pertence à produtividade, afectiva e intelectiva, dos múltiplos agentes que participam nos processos da comunicação social que chamamos arte.


na foto: pormenor de uma obra de Michael Snow da qual não me lembro o nome, deliberadamente roubada do Museu de Arte Contemporânea de Montréal em Setembro 2005.

1 comentário:

froilas disse...

Belo convite. Todos somos chamados a esta seara d'"a consrução social do significado". Diz o evangelho que muitos sao os convidados, poucos os escolhidos. Que importa? Importa que venham todos, que digam, que ouçam. Importa ser chamado a con-viver.